sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Meu Céu , Meu Chão


Meu céu num sorriso de espuma do mar
sou sede de todos os bichos e das flores,
Meu céu num abraço que se eleva no ar
sou nação dos filhos de mil e uma cores.

Meu chão num seco choro de raio de sol
sou terra pai e a mãe de todo o que sente,
Meu chão num berço o esculpido da prole
sou peito de leite redoma de toda a gente.

________
Vamaloso
________
 
Foto: Google

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Nada tinha para escrever


Nada tinha para escrever e pintei com a minha mão
nessa tela de pessegueiro e elevando sopé o monte,
Encontrei rosada flor fresca e compasso do coração
o salvo conduto onde nasceu riacho e serviu a fonte.

O cavalete de incenso e que pagina de aroma denso
neste traço de luxúria e rasgo de luz que me ofusca,
Não tinha letras para ver e abri o teu mundo intenso
o som a palavra que me guiou e pintura de uma lua.
_________
Vamaloso
_________
Foto : Google

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

A Virtude do Natal


A virtude do Natal
é a palavra de um qualquer desconhecido
 desejar-nos a prenda de sermos felizes,
ser consoante na virtude
 é ser feliz e vogal presente
 no verso da conhecida família.

_________
Vamaloso
_________

Foto : Marrillion happiness is the road

domingo, 20 de dezembro de 2009

Rua da Vida



Subir a rua de beco sem saída
mas fácil era somente descer,
moer no sapato pedra perdida
mas fácil era deixar de correr.

Onde o tempo é um corrimão
nesta rua de um único sentido,
Contra-mão é só a recordação
á frente o saber desconhecido.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

sábado, 19 de dezembro de 2009

Brava Branca Barba ( Nfumu Ngui, Copito de Nieve, Snowflake )



Esta história poderá ter as suas barbas
mesmo sem neve tinge tons de branco,
Velho regresso mas como novo abraças
acolhes-me de enfeite na fita do pranto.

Desfeita saudade de resina desta pinha
por teu bravo tronco de pinheiro manso,
Brava Branca Barba uma imagem minha
que nunca me falta alegrando meu canto.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

Conversa de Bar



Bebida embebida dessa luz virtual
de onde nascem e correm segredos,
Simples movimento serve de ritual
e palavra que se verte a dois dedos.

O trilho da música que lota jangada
e um cúmplice nexo nos faz chegar,
Só faz falta quem está por chamada
e marcamos pontos no alegre jorrar.

Mago espelho levita corpos do nada
e varridos na onda da hora de voltar,
A cortina ainda esconde madrugada
mas a dois ainda enchemos esse bar.

________
Vamaloso
________
 
Foto : Google

domingo, 13 de dezembro de 2009

Para Adormecer


Daqui para ali nessa sede berraria
não seria inocente morder e sorver,
E seguro embalo em doce acalmia
na mesma melodia para adormecer.

Daqui para ali na inquieta tropelia
não ser culpado de viver a crescer,
E seguro abrigo nesse colo alegria
na mesma história para adormecer.

Dali para aqui nesta eterna correria
não sendo recta é de subir e descer,
E seguro o porto que faz valer o dia
sempre teu carinho para adormecer.
_________
Vamaloso
_________

Foto : Google

sábado, 21 de novembro de 2009

Acordar

Aberto sonho e fechado de susto ao ponteiro do tempo
existe o milésimo de segundo de não saber onde estou,
Imerso pensar esconde a energia para o pesado ascendo
resiste falsa réstia de esperança que a hora não chamou.

Desperto corpo de marioneta de invisível fio suspenso
persiste o último momento de não saber como acabou,
Irrequieto duvidar mas é íman de pés á terra descendo
desiste da meada por pavio que um novo dia começou.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

sábado, 14 de novembro de 2009

Sei Lá Ceilão


Preciso de voar no tempo que vivi
de quente balão ou na asa de avião,
e preciso de um lugar que nunca vi
de destino sem venda, sei lá Ceilão.

Preciso de ver o que ainda não li
o sorriso da ilha depois da monção,
e preciso de me encontrar por ali
para o tropical abraço, sei lá Ceilão.

Preciso que seja bem longe daqui
de achar a razão em primeira mão,
e preciso que tenha saudades de ti
que fosse ida e volta, sei lá Ceilão.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Passos apressados

Um leve toque de brisa da manhã
no chão de bouquets perfumados,
Mas é ensonada esta vida cortesã
onde vivem os passos apressados.

Sol lusca fusca pelo poiso da Lua
no ar de bom dia a chilrear recados,
Mas é labuta mouca e sempre crua
onde correm os passos apressados.

Galho da laranjeira deu dois gomos
no mar de boa noite de entrelaçados,
Mas é somente na Terra dos sonhos
onde dormem os passos apressados.

________
Vamaloso
________
Foto : Google

domingo, 25 de outubro de 2009

Dizes que invento


Uso essas letras que já todos usam
e lábia por beijo teu em sentimento,
Solto a palavra que outras escutam
mas ainda assim dizes que invento.

Guardo aquilo que todos guardam
e abraço teu de um terno momento,
Lavo o corpo onde outros o lavam
e mesmo assim dizes que invento.

Elejo-te figura de todos os sonhos
e tenho sorriso teu por meu vento,
Amanhã de manhã outros contos
e por ser assim dizes que invento.
________
Vamaloso
________
Foto : Google

sábado, 24 de outubro de 2009

Letras de mata-borrão


Desenho apreendido em ponta para curva de tinta permanente
e marginal rasga ordenadas ideias que mostram linhas estantes,
Um traço de arco ou laço que arrebita ou se estica alegremente
e errante só o espaço para as palavras que se querem pensantes.
.
Esboço sofrido mais tarde festejado pelo primeiro nome traçado
depois paixão contida em carta de letras esforçadas num coração,
Encontrei hoje a caneta amiga com o amor de infância guardado
e as minhas letras aprendizes de sonhos e mestres de mata-borrão.
________
Vamaloso
________
Foto : Google

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Praia de Maragogi


Noutro gume de laranja perdida
só a fresca sombra do coqueiral,
Na cama de chá verde estendida
esse mergulho nas galés de coral.

No mar fugidio é tesouro de prata
ao sol espirituoso coco no abacaxi,
Da banana ideia filé para arte rara
da gamela uma praia de Maragogi.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

sábado, 17 de outubro de 2009

seria o que Sou


Se eu fosse casa e as paredes janelas
seria teu pássaro com ninho nas asas,
Se eu fosse jardim de plantas canelas
seria teu perfume de cheiro abre alas.

Se eu fosse árvore e as tocas o tronco
seria tua barca e amor de mal de pele,
Se eu fosse flor e pólen fresco o poço
seria o que Sou e pote de doce de mel.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Antes que amanheça



O convite da janela é pedra de calçada que reluz
talvez queira mais da noite quando dia esmoreça,
É tempo nascer outra vez e te achar na contra luz
talvez decida sair para a ruela antes que anoiteça.

Afundar numa esplanada de lua ou na orla de bar
e desvendados livra-me desse jogo de cabra-cega,
Líquidos sorrisos cúmplices na sede do mesmo ar
e dançados nesse fim saímos antes que amanheça.

________
Vamaloso
________

Foto: Google

domingo, 20 de setembro de 2009

Ternura


Quando adormecer no gesto da tua ternura
leva-me o corpo com armadura até ao leito,
Quando escutares o teu nome com candura
abraça-me e murmura para o sonho perfeito.

Quando abrir a tua flor no prado flamejante
deixa-me florir também e servir o meu peito,
Quando atear a tua lareira de fogo crepitante
acolhe-me com a ternura de sonho por eleito.

________
Vamaloso
________

Foto : Maurício Moreno

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Atol


Ainda não pintaram as zebras
no adeus até ao meu regresso,
Não viram as horas alquebras
nas duas dúzias que atravesso.

No número de relógio de sol
é a fase da lua que esclarece,
Escrita de zero e um é o atol
e herança para quem aparece.

________
Vamaloso
________

Foto: Google

terça-feira, 15 de setembro de 2009

ReCreio


A pestana de bem-me-quer
que tirei das pétalas do teu olhar,
Uma flecha de arco-íris
que juntei na concha do meu mar.

A haste de dente-de-leão
que soprei estrelas para te encantar,
Um arco de bolhas de sabão
que molhei boca para te perfumar.

As folhas do trevo
que sequei no diário do meu receio,
Um balão de ar quente
que sonhei na volta ao meu ReCreio.

________
Vamaloso
________

Foto: Google

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A tira linhas


É a alegria de sorridentes joelhos rotos
por lágrima de crocodilo a conta-gotas,
É a maravilha das histórias dos contos
a tabuada entendida no bicho de contas.

É sorte vivida nos dois dedos cruzados
que lança o pé na bola e a mão no pião,
É segredo sonhar os dois beijos jurados
um compasso em tira linhas do coração.
________
Vamaloso
________
Foto: Google

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Quero Cinema



Tela de algodão da história escrita no movimento
quero a última como primeira fila do estratagema,
Veste curta metragem de autor para o meu alento
que me serve noema por saber que quero cinema.

Filme amador na guerra de amor e paz do pecado
quero a fantástica aventura que traz o fio e gema,
Fotograma de rio cristalino que irrompe no prado
saltas fonemas de morfema porque quero cinema.

Quadro de animação que mudo onde sobra ficção
quero melodrama musical por beijos em anátema,
Projecção sem fim á luz de única estrela é paixão
que se oferece em poema porque só quero cinema.

________
Vamaloso
________

Foto: Google

sábado, 5 de setembro de 2009

Votos e Devotos


São sempre mensagens de bolinho da sorte
de quente biscoito que se devora e esquece,
São arraiais das ideias de opinião sem norte
das promessas de quem deve mas não teme.

Dia já marcado para festa de devotos votos
numa ideia comum pelo dever de cidadania,
Na noite ganham todos e são votos devotos
na certeza de voltar a ter festa qualquer dia.
________
Vamaloso
________
Foto: Vamaloso

sábado, 29 de agosto de 2009

Talvez já não te interesse !


Nessa carta de identidade global que nunca visto
de usar e deitar fora ao sabor de cada movimento,
Nesse retrógado ou revolucionário que não dispo
deve sempre existir uma causa em cada momento.

A dois tempos entre o real e virtual existe a pausa
do fugaz novo ao tempo para o que desse e viesse,
Corpos de redes portáteis é breve futuro em causa
de revolucionário porque talvez já não te interesse !
________
Vamaloso
________

Foto: Google


sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Mania



Mania de amar quem não me sonhou
que me beija mas nunca me abraçou,
A roleta de azares na sorte da alegria
que lanço por dois e salta um é mania.

Mania do risco e saber que não arrisco
mas corre o sangue dum miúdo arisco,
A carta do baralho para sina em poesia
que não se volta em desespero é mania.

Mania de escrever o que não sei dizer
um enredo de mim que julgo entender,
O painel das teclas para pura alquimia
das sentidas palavras em jogo é mania.
________
Vamaloso
________

Foto: Vamaloso

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Crise Existencial


Viver o impasse depois de cada jornada
que acordados o sonho fica só no papel,
Perdida ponta da corda de tão enrolada
que não se estica para escalada ou rapel.

Crise Existencial é vírus mas não aparece
mas tontos vivem os contos de vil metal,
Crise Existencial é saber mas não cresce
têm uma ponta da corda e acham normal.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O maior medo de um poeta



O maior medo de um poeta não é fechar os olhos para sempre, é perder um segundo de inspirado pensamento num simples espirro !
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Salada Fresca

Demolhado o jardim como roupas em role
distribui nos corações em inocente bilhete,
Salpicadas pepitas para felicidade da prole
desfiz tronco em raspa para olho reluzente.

Espalhados frutos daquela oliveira brava
cresci o cume de farripas de lombo terno,
Verter espirituosa salsa rosa de pura nata
na salada fresca é o sabor de saber eterno.
________
Vamaloso
________

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Corpo au Sal


Assentar pelas oito e arejar ao marcar onze
dispo corpo até à medida desse preconceito,
Na cama de areia de vista azul no horizonte
aqueço corpo protegido de rubor por defeito.

Demolhando e flutuando na bandeja de mar
refresco corpo onde aí a lua é o sol do areal,
No tabuleiro d’oiro tempero é maresia no ar
e evaporar frescas gotas é vestir corpo au sal.
________
Vamaloso
________
Foto: Google

segunda-feira, 20 de julho de 2009

No Raval são coisas do Botero Gato

Se a noite mistura a cor numa nação
é verão de sábado em festa no Raval,
Canta-se bem alto de tesouro na mão
onde som só desmaia no passo final.

Traziam na mão esse pedaço dourado
de somar páginas em grossa espuma,
cruzavam alegre baptismo de pecado
de cheios por milagre levitam na rua.

3 da manhã o amor é saber cumprido
táxi ao alto livro na mão emprestado,
3 gerações de praça dizia nunca visto
trazer livro são coisas do Botero Gato.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

quinta-feira, 16 de julho de 2009

ahH Dois Ó

Num borrifar que salpica lençóis de pele
ser autor de película de longa metragem,
é chapinar no charco da colmeia de mel
por onda que se faz vaga pela amaragem.

Essa cascata de chuva na noite desperta
corrente leito onde não há ponto sem nó,
são puras as gotas de espuma nessa tela
e são felizes num cadeado ahH Dois Ó ó.
________
Vamaloso
________
Foto: Vamaloso

domingo, 12 de julho de 2009

Ice Bar por Barcelona

Quando transpira quente a inércia da noite
no corpo líquido no vítreo ponto de fusão,
Apetece agitar o copo da vida num açoite
para refrescar atmosfera densa de pressão.

Sol alto que despede orla fresca da praia
com inércia talvez te escolha como o lar,
Lua alta que veste a noite tal peixe arraia
visto manto e quebro gelo só no Ice Bar.

________
Vamaloso
________
Foto: Google

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Verão !

Descalço do amor na areia do verão
enterro os pés para sentir cada grão,
Despido no meu mar que soma um
mergulho a mente em lugar comum.

Protegido corpo no creme do verão
cubro a pele da memória da paixão,
Liberto ao sol que serve de arcanjo
adormeço ao som do mar de banjo.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Água

Beber água do teu olhar que se perde por mim
é o lançar lágrima em beijo de olhos fechados,
Se choverem doces gotas e se lavarem em ti
são os meus olhos de água de puros recados.

Abrir poros da tua pele que se despe por mim
é soltar perfume num abraço de nós cruzados,
Se saltarem doces gotas e se correrem em ti
são os meus poros de água de puros pecados.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sexta-feira, 19 de junho de 2009

O meu beijo Colibri

O meu beijo é aquele que extrai néctar de boca em flor
que se cola em brilhante plumagem vermelha de amor,
O meu beijo é o teu bebedouro de olhos fechados em fé
que paira no teu espaço e sobrevoa em pura marcha-ré.

O meu beijo Colibri de espontâneo voo ágil provocante
é permanente desejo em intermitente dança deslizante,
O meu beijo Colibri vive em cada recanto do teu mundo
e é por sentir que exalta inúmeras emoções por segundo.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Sereia do Mundo

Era a vez de uma história num colar de conchas
que encontras nessa bandeja de areia e de ondas,
Intrigante essa origem por não existir nada igual
que abres na mão e decifras a dedo por um sinal.

Descobrir a chave do seu mundo não se explica
que vem de segredo nesse búzio que te enfeitiça,
Lançava o som numa doce teia só para sonhares
que dizia já estou aqui e tu aí para me escutares.

Existe na luz a sombra
Existe na terra a onda
Existe no vento a cor
Existe na água o sabor

Conchas do colar da Sereia do Mundo são quatro
que giram e te guiam em movimento de quartzo,
A vida num sentido só com o coração em concha
que te aquece, refresca e perfuma amor em onda.
________
Vamaloso
________

Foto: Vamaloso

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Sei



Sei que espelhas o meu olhar no teu reflexo
se os teus dedos nos meus cabelos trauteias,
Sei que adornas o meu corpo em circunflexo
se com os teus lábios os meus pêlos apeias.

Sei que torneias a voz em sons de puro nexo
se hoje as minhas palavras voarem por gosto
Sei que enfeitas leito em aconchego convexo,
se hoje adormecer contemplando o teu rosto.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Poria

No outro dia esclareci num assento de vida
que poria de parte o acento da minha mania,
No outro dia percebi num acesso de euforia
que podia de todo, ser excesso, ser a alegria…

Que poria tudo o que me pedias
e que seria tudo o que tu querias,
E se ainda algo faltasse
eu poria porque eu podia,
eu poria porque eu queria…

Mas traguei a noite nesse meu assento de bar
que serve líquido e põe acento no meu falar,
Mas já dei por alta a noite no passo de cruzar
que entorpece corpo, por excesso, por cantar…

Que poria tudo o que me pedias
e que seria tudo o que tu querias,
E se ainda algo faltasse
eu poria porque eu podia,
eu poria porque eu queria…
________
Vamaloso
________

Foto: Vamaloso

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Matamorra em Porto Santo

Foi na rota de uma promessa de sangue de drago
que escolhemos pura lágrima seca por descanso,
Fizemos Matamorra perfeita num selado abraço
que enchemos só de jura na Ilha de Porto Santo.

Seiva apetecida devia ser uma promessa eterna
que esquecida não dura se o laço não se cultiva,
Amor corsário levou cada um para a sua regela
mas sopra vento neste mar e existe pano na vela.
________
Vamaloso
________

Foto: Vamaloso

sábado, 16 de maio de 2009

Sou como Zêzere

Na berra ao nascer privado do calor
o primeiro prazer foi cântaro magro,
Na descoberta da forma e pela cor
foi por amor o meu primeiro passo.

Apontei canoa mas deixei-me levar
por traçados dos vividos influentes,
Estudei muitas artes de bem remar
mas cresci só em amores afluentes.

Sou como Zêzere moldando pedra
na natura da minha marca nesta era,
Para trás só o meu tempo de chegar
na frente por me atrever a contemplar !
________
Vamaloso
________

Foto: Vamaloso

sexta-feira, 8 de maio de 2009

No Golfo de Bodrum


Deitado no porto por onde o sonho atraca
levanto o meu mundo que o conto abarca,
Em Setembro de Sol e Lua em harmonia
vivi no Golfo de Bodrum em pura deriva.

Enrolado sonho de te querer a meu lado
e desperto no conto por sonhar acordado,
Só queria voar mas sem asas mergulhei
e só queria te encontrar onde não te achei !
________
Vamaloso
________
Foto: Vamaloso

sexta-feira, 1 de maio de 2009

A vista de Cumil em Korzo

Noutro tempo e noutro lugar marcharia em avenida
por muguet de dignidade ou por cravo na liberdade,
neste tempo e neste lugar o reencontro é na esquina
por reviver momentos de glória dessa Korzo cidade.

Existe compasso no passo em círculo só para te ver
por já não marchares e sem saber se tens memória,
existe pauta na pausa em registos para te poder ler
e é assim que quedo e mudo fazes recordar história.
________
Vamaloso
________

Foto: Vamaloso

sábado, 25 de abril de 2009

Ilha do Sal


Gostar do gosto dessa pele salgada
que se apurava na tua quente brisa,
Concha desse mar bem perfumada
que se curvava no seu som de vida.

Fios de prata nesse azul espelhado
vendeste os desejos de mãos dadas,
Na Ilha viver do Sal por Sol amado
no acordar por ti ao som das vagas.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sábado, 18 de abril de 2009

Guiza por Chichen-Itza

Foi a dois passos de um paso doble
que vi sorriso do meu porte Guiza,
Ás duas por três subi por um toque
para crescer bem alto Chichen-Itza.

Foi a dois que bebemos num tango
do meu Nilo que te fez Imperatriz,
Hoje sei de cor o tom desse canto
de grito bem Mariachi no que diz.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Encontro na Ilha da Páscoa

Família de pedra sem cal na Ilha,
vapor de água mole veste o rosto.
Navego onde me leva essa quilha,
liberto na travessia em puro gosto.

Família em laço que nunca descai,
encontro da Páscoa é doce sonho.
Regresso para só te abraçar Moai,
desperto de vida com sabor a conto.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sábado, 4 de abril de 2009

Lagoa de Huacachina em Ti !

Percorrendo a última duna tensa e quente
e encontrar na prece esse oásis alucinante,
no lugar onde o viajante afaga a sua sede
é pura luxúria beber essa água abundante.

Tal como ave que migra e em ti descansa
e existir só em mim para correr esta tinta,
tal como apurado sabor de vinho crianza
é recordar de ti em Lagoa de Huacachina.
________
Vamaloso
________
Foto: Google

sexta-feira, 27 de março de 2009

Papagaio de papel em crise


Quero escrever o que ninguém escreve por ti
na correria e ilusão desse voo ser o primeiro,
no limite a proibição era falta de vento e jeito
nesse papagaio de papel que eu nunca esqueci.

Neste mundo de papeis de consumo em crise
estimulante é a mudança nesta história virtual,
reaprender com as inúmeras quedas em pique
e controlar esse fio por um papel de vida real.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sábado, 21 de março de 2009

Volúpia

Num fruto de amor e de alma
cresces por volúpia na virtude,
lanças esse arrepio sem calma
e rodopias em doce queixume.

Ar perfumado de água e terra
danças por querer saber viver,
estremeces no grito da guelra
e abraças leito até amanhecer.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

domingo, 15 de março de 2009

Cascais perto em Bogatel

Falta a folha no livro do meu trevo,
sorte saber que sempre me atrevo.
Saber de cor o meu olímpico passo,
aqui em baixo voo sempre tão alto.

Linhas de mar que contornam rosto,
gotas salgadas pela vista de sonho
Lembrar Cascais onde acolhe batel,
e estender preguiça na praia Bogatel.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Esfera de Cristal

Palavras loucas em esfera de cristal,
e nem todo o sal do mar sabe a igual.
Sobram algas em flores por cuidar,
e montes de areia em terra por cheirar

Cuida da tua esfera de cristal,
olhar, sorrir e também chorar não é fatal.
Cuida da tua esfera de cristal,
abraçar, beijar e também tocar é crucial.

Esquecer o leito fundo de mil penas,
acreditar no puro sonho das estrelas.
Colorir pensamentos só para respirar,
numa esfera de cristal só para te amar.
________
Vamaloso
________

Foto: Google

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Malecón em Bratislava

Abaixo de zero que não contava,
frios mantos brancos por Bratislava.
Não me perdi em danúbios azuis,
e não me aqueci em fenos dourados.

Se existe breve e quente miragem,
que corta o frio dessa passagem,
só o sabor de puro rum no Malecón,
e só o calor da salsa tem esse dom.
________
Vamaloso
________
Foto: Google

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Las Ramblas e o efeito de Ramblar !


És rio e nunca perdeste o leito,
fervilhante da praça até ao mar.
És movimento perpétuo perfeito,
gente apaixonada a transbordar.
És mais um quadro bem cheio,
sempre a terra livre para Ramblar.

Depois de turistas e artistas,
ziguezague em vielas fadistas.
Depois dos bichos e das flores,
o mercado de cheiro e sabores.
São tocas de arte para espreitar
são seis Las Ramblas para Amar.
________
Vamaloso
________

Foto: Google