domingo, 20 de setembro de 2009

Ternura


Quando adormecer no gesto da tua ternura
leva-me o corpo com armadura até ao leito,
Quando escutares o teu nome com candura
abraça-me e murmura para o sonho perfeito.

Quando abrir a tua flor no prado flamejante
deixa-me florir também e servir o meu peito,
Quando atear a tua lareira de fogo crepitante
acolhe-me com a ternura de sonho por eleito.

________
Vamaloso
________

Foto : Maurício Moreno

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Atol


Ainda não pintaram as zebras
no adeus até ao meu regresso,
Não viram as horas alquebras
nas duas dúzias que atravesso.

No número de relógio de sol
é a fase da lua que esclarece,
Escrita de zero e um é o atol
e herança para quem aparece.

________
Vamaloso
________

Foto: Google

terça-feira, 15 de setembro de 2009

ReCreio


A pestana de bem-me-quer
que tirei das pétalas do teu olhar,
Uma flecha de arco-íris
que juntei na concha do meu mar.

A haste de dente-de-leão
que soprei estrelas para te encantar,
Um arco de bolhas de sabão
que molhei boca para te perfumar.

As folhas do trevo
que sequei no diário do meu receio,
Um balão de ar quente
que sonhei na volta ao meu ReCreio.

________
Vamaloso
________

Foto: Google

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A tira linhas


É a alegria de sorridentes joelhos rotos
por lágrima de crocodilo a conta-gotas,
É a maravilha das histórias dos contos
a tabuada entendida no bicho de contas.

É sorte vivida nos dois dedos cruzados
que lança o pé na bola e a mão no pião,
É segredo sonhar os dois beijos jurados
um compasso em tira linhas do coração.
________
Vamaloso
________
Foto: Google

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Quero Cinema



Tela de algodão da história escrita no movimento
quero a última como primeira fila do estratagema,
Veste curta metragem de autor para o meu alento
que me serve noema por saber que quero cinema.

Filme amador na guerra de amor e paz do pecado
quero a fantástica aventura que traz o fio e gema,
Fotograma de rio cristalino que irrompe no prado
saltas fonemas de morfema porque quero cinema.

Quadro de animação que mudo onde sobra ficção
quero melodrama musical por beijos em anátema,
Projecção sem fim á luz de única estrela é paixão
que se oferece em poema porque só quero cinema.

________
Vamaloso
________

Foto: Google

sábado, 5 de setembro de 2009

Votos e Devotos


São sempre mensagens de bolinho da sorte
de quente biscoito que se devora e esquece,
São arraiais das ideias de opinião sem norte
das promessas de quem deve mas não teme.

Dia já marcado para festa de devotos votos
numa ideia comum pelo dever de cidadania,
Na noite ganham todos e são votos devotos
na certeza de voltar a ter festa qualquer dia.
________
Vamaloso
________
Foto: Vamaloso