sábado, 21 de novembro de 2009

Acordar

Aberto sonho e fechado de susto ao ponteiro do tempo
existe o milésimo de segundo de não saber onde estou,
Imerso pensar esconde a energia para o pesado ascendo
resiste falsa réstia de esperança que a hora não chamou.

Desperto corpo de marioneta de invisível fio suspenso
persiste o último momento de não saber como acabou,
Irrequieto duvidar mas é íman de pés á terra descendo
desiste da meada por pavio que um novo dia começou.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

sábado, 14 de novembro de 2009

Sei Lá Ceilão


Preciso de voar no tempo que vivi
de quente balão ou na asa de avião,
e preciso de um lugar que nunca vi
de destino sem venda, sei lá Ceilão.

Preciso de ver o que ainda não li
o sorriso da ilha depois da monção,
e preciso de me encontrar por ali
para o tropical abraço, sei lá Ceilão.

Preciso que seja bem longe daqui
de achar a razão em primeira mão,
e preciso que tenha saudades de ti
que fosse ida e volta, sei lá Ceilão.

________
Vamaloso
________

Foto : Google

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Passos apressados

Um leve toque de brisa da manhã
no chão de bouquets perfumados,
Mas é ensonada esta vida cortesã
onde vivem os passos apressados.

Sol lusca fusca pelo poiso da Lua
no ar de bom dia a chilrear recados,
Mas é labuta mouca e sempre crua
onde correm os passos apressados.

Galho da laranjeira deu dois gomos
no mar de boa noite de entrelaçados,
Mas é somente na Terra dos sonhos
onde dormem os passos apressados.

________
Vamaloso
________
Foto : Google